Pular para o conteúdo principal

O neo colonialismo ambientalista está causando estragos na America do Sul


Ainda somos uma colônia e lutamos para sair dessa situação.
O atraso brutal que o Brasil sofreu nesses 500 anos de colonização ainda é visível e vai nos acompanhar por muito tempo.
Nos últimos dez anos alguns países como o Brasil saíram das garras das elites dominantes e tiveram presidentes populares vindo das classes trabalhadoras e que conduziram políticas de desenvolvimento e distribuição de renda que levou algum progresso a esses países.
O Brasil teve o Lula e continua com essa política com a Dilma.
O Brasil mudou, cresceu e distribuiu renda.
Uma massa imensa de pessoas saíram da extrema pobreza e agora conseguem comprar bens como geladeira, fogão, televisão, computador, carro e até viajar de avião pela primeira vez nas suas vidas.
Isso demanda elevados índices de consumo de energia, combustível e diversas fontes de energia, inclusive energia nuclear e hidrelétrica.
O Brasil precisa de estradas, de ferrovias, hidrovias, portos, aeroportos e o escambau.
Isso é o preço do “progresso”.
Progresso que virou palavrão na boca dos ambientalistas.
O Brasil está em um impasse.
De um lado os vermelhos que acreditam no progresso do Brasil.
Isso leva a destruição de algumas partes do território, inclusive parte da Amazônia para extração de minérios, construção de hidrelétricas e ocupação populacional.
Do outro lado os verdes que são contra tudo isso.
Alguns por acreditarem estar certos e por inocência.
Outros por fazerem parte de um plano de paralisação das antigas colônias para que essas não sejam concorrentes do império.
Espia isso.
O Brasil há mais de cem anos tenta ter uma estrada, ferrovia, vereda, picada, o caralho que ligue o Atlântico ao Pacifico para escoar as riquezas nacionais diretamente para a Ásia e vice versa.
Isso levaria riquezas para Peru, Bolívia e Brasil.
A época do Chico Mendes e do “começo” do verdismo essa rodovia foi combatida a ferro e fogo.
Tinham ONGs e ONGs internacionais socadas na região para impedir essa estrada.
Sempre com o argumento verde.
Agora, índios bolivianos paralisam a construção dessa mesma estrada que promoverá o comércio na América do Sul.
O projeto é financiado pelo Brasil, com custo total de US$ 415 milhões.
Os indígenas amazônicos, que rejeitam a estrada porque a obra atravessará o Tipnis, argumentam que a obra possa levar à ruína da reserva.
O mesmo argumento de sempre.
A BR 174 liga Manaus a Boa Vista e corta a reserva Waimiri Atroari e tinha que ser construída.
Hoje é a área mais preservada de toda a beira da rodovia.
Existem arvores nativas de mais de cem anos em toda a extensão onde a estrada corta a reserva.
Esse argumento é mentiroso portanto.
E outra, um país se pensa em todos os povos e não em um só.
O "progresso" e a expansão dos povos é inexorável.
Como ele vai se processar e com que impacto isso vai acontecer é a discussão do momento.
O que não pode são verdes xiitas contra tudo imaginando o retorno da humanidade as cavernas, de outro lado os vermelhos inflamados pensando um modelo americanizado e consumista de progresso, ficarem decidindo o que é melhor pra grande maioria dos brasileiros.
Nós, os mamelucos, sem teto, sem terra, sem reserva, sem ONG, sem latifúndio, só espiando essa conversa ambientalista criada em cativeiro querendo que a gente vá morar em Abrolhos.
Estamos espremidos entre o latifúndio indígena e o latifúndio da Katia Abreu.
Abrolhos, até onde eu saiba, era o único lugar desabitado quando o Cabral chegou no Brasil.
Vamos todos os mamelucos morar lá.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Deputada Mirian Rios quer proibir o sexo anal... dos outros.

Esse Roberto Carlos é muito fraquinho.
Ele foi casado com a ex atriz Miriam Rios durante anos, depois que se separaram ela virou evangélica, depois virou católica da igreja carismática e toda cheia de valores morais e éticos que todos sabem que atores da Rede Globo depois do teste do sofá não podem ter.
Fora isso ela foi ex esposa de um cirurgião plástico famoso e mãe de um filho do ator Andre Goncalves.
Isso só os conhecidos.
Ela passeou bastante por pau de homem famoso.
Da noite para o dia a mulher virou deputada pelo Rio de Janeiro contando com os votos desse povo devoto.
Espia isso.
Por falta do que fazer para agradar seus eleitores inventou um projeto que proíbe o sexo anal.
Inventou o Dia Mundial Contra o Sexo Anal.
Oia.
Anal dos outros, acho.
Esses caras da listinha ai de cima não estão com nada.
Ou podem ter afolotado a pobre.
Para ela ter esse horror todo ao sexo anal, capaz de ser trauma mesmo.
Ou foi muito ruim ou foi muito dolorido.
Mas essa louca não pode legislar sobre…

Pompoarismo não é bezerro

O pompoarismo é uma antiga técnica oriental, derivada do tantra, que consiste na contração e relaxamento dos músculos circunvaginais, buscando como resultado o prazer sexual. Para o domínio da técnica são realizados com o auxílio dos ben-wa, que consistem em pequenas bolas ligadas através de um cordão de nylon, conhecidas também como bolinhas tailandesas (no caso das mulheres), e na contração na musculatura no esfíncter e dos músculos do períneo (no caso dos homens). Afirma-se ainda que o pompoarismo pode ser benéfico contra incontinência urinária e na preparação do canal para partos mais fáceis.
Já o bezerro não é técnica nem filosofia. O bezerro que nós conhecemos bem, aqui no Amazonas, é algo espontâneo, natural, a caboca amazonense já nasce com ele. Vem de berço. Faz parte da tradição e do orgulho baré a mulher ter bezerro. Tanto que desde cedo tem disputa pra quem tem bezerro melhor, mais forte. Não é pra qualquer uma sugar, apertar, moer, triturar, prender e cuspir a hora que bem…

Manaus está na época da tanajura

A tanajura é uma formiga alada, do sexo feminino, da família das saúvas.
É uma fêmea virgem que após acasalar, funda um novo formigueiro.
Em tempos mais quentes, quando está preste a chover, sai de suas tocas para pegar uma brisa em árvores, já que, nessa época, o estresse e o calor aumentam, provocados por aquele entra-e-sai sem fim, um caos.
Nada a ver com TPM e nem com sexo.
Em Manaus a época de tanajuras é aguardada junto com o dia de finados.
Esse ano chegou atrasado.
Minha casa está cheia de tanajuras.
A bunda da tanajura é cheia de gordura, pegava um monte delas e assava em frigideira.
Uma delicia.
Comia bunda literalmente.
Agora não.
As coisas mudaram.
Ando meio saudosista.
Tanajuras espalhadas pelo pátio da minha casa me enchem de lembranças da infância.
Ainda bem que eu tive.
E acho que parei nela.
Felizmente!