Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2009

Clodovil e o mito dos dois caixões

Morreu Clodovil Hernandez, ex-biba, ex-costureiro, ex-apresentador de televisão e ex-deputado federal pelo estado mais consciente politicamente do país. Partiu, no bom sentido, e levou junto com ele o mito dos dois caixões. Dizem que gente linguaruda precisa de dois, um pro cadáver outro só pra língua. Até na morte a biba causou espécie. Não teve dois caixões, e acho que por isso tantos jornalistas começaram a falar de qualidades invisíveis do morto. Acho que com medo da língua, já que não viram ser enterrada. No velório tinha gente que foi só conferir se virava purpurina mesmo, gente incrédula, desrespeitosa. Até as amigas de opção sexual tinham pavor da língua dele, que sempre se referia aos homossexuais com homofobia, era uma bicha homofóbica. Comentário maldoso no meio das amigas durante o velório “aquilo??!!..nem o oceano de purpurina quer!!”. O fato é que morre o maior estadista do glorioso estado de São Paulo, o maior homem publico que o estado já teve. Não entendo o que a Mart…

Empurra que sobe

O bandido prendeu a policia
Com a ajuda prestimosa da grande imprensa brasileira, que vive do dinheiro das grandes empresas, algumas delas controladas pelo grupo do mega investidor Daniel Dantas, preso na operação Satiagraha, o delegado Protógenes da PF que comandou a investigação virou réu no processo. Tá tudo trocado, né não??!!
Não precisa ir longe
Por falar em Satiagraha, na republica bananeira dos moutinhos, cometer crime também é motivo de premiação, haja visto que um dos foi consolado pela injustiça de ter sido flagrado na operação da PF, com o cargo de conselheiro do tribunal de contas. Vou prender minhas galinhas que o negócio tá feio... feio.
O alambrado não mente
O Ronaldinho vulgo fenômeno, aquele que tá travando a pauta do jornalismo tupiniquim, agora não pode negar que está gordo. Destruiu o alambrado com seu corpinho. O Corinthians podia emprestar ele pro MST quebrar umas cercas latifundiárias, né mermo?
O negão de lá vai ser excomungado
A igreja católica, segundo a lógica do …

Mulher é tudo homem ruim

Na Semana Internacional da Mulher, em plena quaresma, meu amorzinho reapareceu. Ela tinha desaparecido sem dar notícias uns dias antes do carnaval. Ela brigou comigo por conta de algo que não lembro mais. Com certeza ela tinha razão, como em toda briga que ela arruma comigo nas tardes de sexta, mas tudo bem, pois sei com certeza, que domingo a noite ela me liga querendo afetos. Ela sempre volta com as mesmas noticias, cheia de carinho, sorrisos e manhas. E eu sempre caio no seu encanto. Nunca deixo pensamentos machistas, chauvinistas, possessivos e ciumentos melar nosso romance. Às vezes rola pensamentos chatos, tipo, porque ela só briga comigo nas sextas a tarde ou em véspera de um feriado, e, infalivelmente as vésperas do carnaval? Fico pensando besteiras e acho melhor pensar que é pura coincidência. Meus amigos todos usam muito esses truques com as esposas e namoradas, quando querem sair sozinhos em baladas por ai. Tenho certeza que meu amorzinho não usaria esse tipo de estratégia…

Depressão pós carnaval

Assistindo a qualquer canal de televisão do Amazonas, a qualquer hora da programação local, a gente dá de cara com alguma bichinha pilotando programa de televisão. Nada contra, mas deveriam dizer pras bibas que falar “os pessoal” é errado. Quem banca esses programas com nosso dinheiro, deveria pagar, pelo menos, um curso a distancia, pois afinal esses pavões afeminados se colocam como porta vozes dos empresários e políticos locais. Se não é bichinha, é policial candidato a algo com a velha formula programa de televisão policialesco mete porrada nos pobres finge que bate nos ricos e os otários vota em nós (sic). O poder que os malas pensam que tem é impressionante. O mais grave é que eles estão protegidos não pelo fato de ocuparem cargos públicos elegíveis. No Brasil atual até governador de São Paulo já saiu de casa algemado. A esperteza deles é se esconderem atrás das fileiras da imprensa. Ainda não vi jornalista canalha preso e algemado. De burros não tem nada. E eu ainda vou ver …